30
Abr 13
publicado por Tempos Modernos, às 20:24link do post | comentar

 


publicado por Tempos Modernos, às 11:16link do post | comentar

Regresso às promoções nunca repetidas noutros dias?

 

(Ou como há mais de um ano que não contribuo para isto, pois na realidade já lá deixara de ir às compras com a patriótica transferência para a Holanda)


publicado por Tempos Modernos, às 10:38link do post | comentar | ver comentários (1)

 

(Foto: espoliados.blogspot.com)

 

O forte lóbi apostado em transformar o porto lisboeta em local de vilegiatura (afastando as centenárias ocupações da marinha de comércio da margem norte do estuário do Tejo) terá de contar com um corropio de salvamentos aéreos.

 

No dia 18, o terminal de cruzeiros de Lisboa bateu recordes de ocupação. Mas, já à saída, perto de Cascais, junto ao cabo da Roca, o Balmoral, um dos sete navios desse dia, foi visitado por um helicóptero. Era preciso resgatar um passageiro britânico, de 79 anos, vítima de alegado ataque cardíaco.

 

Ontem, o Boudica, navio de cruzeiro que na semana passada andou por Lisboa,  também teve de recorrer à Força Aérea. Motivo, o mesmo, desta vez para retirar uma inglesa de 74 anos, com fortes dores abdominais.

 

É o sossego dos reformados do norte europeu, trocado por salvamentos radicais. E se a Força Aérea carregar nas tarifas, ainda se torna um meio extra de obtenção de receitas. 

 


29
Abr 13
publicado por Tempos Modernos, às 20:42link do post | comentar

 

Quando me disseram que o PS tinha escolhido Norte e Sul como tema achei a ideia oportuna e corajosa.

 

Um partido habituado à governação atirar para discussão a fractura entre os países do norte e do sul na União Europeia tinha aspecto de pedrada no charco.

 

Afinal, era o tema, sim, mas tema musical: o da série, com Patrick Swayze como um dos protagonistas, passada pela RTP na segunda metade dos anos 80, quando Portugal se ia estreando nas lides europeias.


publicado por Tempos Modernos, às 19:23link do post | comentar

 

(Foto: público.pt)

 

É absoluta novidade, pelo menos em Portugal, essa de um partido ter maioria absoluta e mesmo assim coligar-se. A declaração foi feita ontem, por  António José Seguro, no XIX Congresso do PS, e é uma espécie de busca da União Sagrada, que tem a seu favor a possibilidade de satisfazer mais sensibilidades eleitorais.

 

Claro que isso depende da geometria escolhida para o alargamento. Há aproximações que em nada modificarão o que já por cá se tem há muitos anos.

 

Um Governo de frente popular seria um caminho diferente. Um Executivo de arco da governação - o mais provável provável - seria mais do mesmo.

 


28
Abr 13
publicado por Tempos Modernos, às 11:12link do post | comentar

27
Abr 13
publicado por Tempos Modernos, às 21:43link do post | comentar

 

 

(Foto: Vítor Rios - Global Imagens)

 

João Semedo e Catarina Martins, enquanto dirigentes do Bloco de Esquerda, não deviam participar nos debate frente-a-frente e esquerda-direita que alguns canais exibem.

 

O BE não será propriamente um partido institucionalista, mas Semedo e Catarina Martins têm uma posição institucional que obrigava a que apenas respondessem a líderes dos outros partidos e não a figuras hierarquicamente inferiores.

 

O mesmo em relação a Carvalho da Silva que no outro dias estava num programa semelhante e que enquanto presidenciável se devia resguardar.


publicado por Tempos Modernos, às 21:38link do post | comentar

 

(Foto: Ilustração Portuguesa, 1910)

 

O discurso de Cavaco no 25 de abril mostra que não são apenas as legislativas que fazem sentido

 

As presidenciais são igualmente desejáveis.


publicado por Tempos Modernos, às 20:53link do post | comentar

 

(Foto:Gustavo Bom - Global Imagens)

 

À margem do Congresso do PS, Vítor Ramalho lembra que Assunção Cristas é a responsável pela lei das rendas, diploma que despeja reformados, que  Pedro Mota Soares é responsável por cortes sociais aos mais desfavorecidos.

 

O soarista Ramalho critica os dois ministros do CDS-PP, no mesmo dia em que a imprensa garante que Paulo Portas dá, mais uma vez, mostras de andar descontente no Governo.

 

Já se sabe que terá sido Portas - que tem o poder como fim - a forçar a passagem da zanga aos jornais, mas não é líquido que PS rejeite uma coligação com o partido do sempre calculista ministro dos Negócios Estrangeiros.


publicado por Tempos Modernos, às 20:36link do post | comentar

 

(Foto: Luís Ramos - Público) 

 

No PSD, há ordem para lançar à ventoinha que o PS anda obcecado com as eleições. A ver se pega. E depois de Cavaco ter feito o discurso que fez no 25 de Abril a coisa parece concertada.

 

Moreira da Silva disse-o hojeManuela Ferreira Leite - que a comunicação social mais bem informada costuma garantir ser um dos arbustos que a mão de Cavaco abana - dera ontem o mote no seu show da TVI.

 

O moderador Paulo Magalhães perguntou-lhe qual era o problema das eleições. O longo silêncio de Manuela Ferreira Leite antes de responder é todo um programa democrático. 


mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
17
18
19
20

23
26



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO