22
Abr 13
publicado por Tempos Modernos, às 22:11link do post | comentar

Louçã disse-o na sexta. Medeiros Ferreira escreveu-o no sábado.

 

Portas tenta a todo o transe acertar agulhas com um novo eleitorado.

 

Com os reformados já não se deve safar. Numa pasta, Mota Soares cortou-lhes as reformas, já Assunção Cristas aumentou-lhes as rendas. 

 

Também havia os contribuintes, e nessa área também não se dá pela acção moderadora do partido antigamente conhecido como partido dos contribuintes.

 

A obsessão recente com a pasta das Economias vinca como Portas aspira poder dar dinheiro aos empresários e encontrar um novo nicho  eleitoral.

 

Só que parece que Passos Coelho não está pelos ajustes. Hoje, no processo em curso de remodelação às pinguinhas, Castro Almeida reforçou a pasta do Desenvolvimento Regional entregue há uma semana e tal ao também laranja Miguel Poiares Maduro. Amanhã, Álvaro Santos Pereira anuncia um programa para a recuperação económica

 

A jogada de Passos Coelho é arriscada. Portas não quer correr o risco de que se comece a perceber que, mais que fazer coisas pelos eleitores, lhe interessa o poder.

 

Se deixar o marfim correr, há a hipótese de ver esvaziar-se-lhe o partido e nada lucrar com uma eventual pasokização do parceiro laranja. Mais vale sair antes, zangado, e convergir com um PS ganhador. 


publicado por Tempos Modernos, às 22:03link do post | comentar

O grau zero também está atingido quando se ouve uma dramática Clara de Sousa instar Miguel Sousa Tavares a explicar-lhe uma questão económica como se este fosse um vulgar Professor Marcelo: 


- Como é que isto pode ser, Miguel?


mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
17
18
19
20

23
26



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO