16
Jan 17
publicado por Tempos Modernos, às 15:01link do post | comentar

A pasta de papel é uma matéria-prima a exportar.

 

A sua actividade talvez faça sentido em períodos como o actual. E talvez não haja outro remédio.

 

Mas é uma produção de baixo valor acrescentado.

 

E o país precisa como de pão para a boca de uma produtividade assente na mais valia dos produtos e em indústria de ponta. Os trabalhadores portugueses produzem pouco não por trabalharem pouco, mas por que os bens que produzem são baratos ou não transaccionáveis.

 

O sector de que Portugal necessita não é o da produção de matéria-prima que outros irão transformar em produtos que depois exportam para Portugal.


mais sobre mim
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12

15
16
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO