17
Fev 12
publicado por Tempos Modernos, às 17:02link do post | comentar

Os mesmos portugueses que criticam o estado da Justiça portuguesa são bem capazes de estar com um sorriso de orelha a orelha por causa do alegado suicídio do homicida de Beja. Fazem mal. Muito mal.

 

Deixar que um prisioneiro que devia estar sob a mais estrita vigilância cometa suicídio (e escape ao julgamento) é mais um ruidoso e claro sinal da indigência e incompetência da justiça e do sistema prisional portugueses.

 

Não faltará quem diga que teve o que merecia, sozinho ou ajudado, e nem se sabe muito bem que resultados terá a investigação da Inspecção Geral da Administração Interna.

 

Os que lançam serpentinas e foguetes não percebem que os fumos da sensação de justiça escondem a falência de uma sociedade e de um sistema.

 

Podem emocionar-se à noite com a sua própria compaixão indignada. Mas a barbárie escreve-se de mais maneiras do que aqueles que dizem defender a civilização e a bondade têm sequer capacidade para imaginar.


Tens muita razão! Ele devia estar vigiado como forma de assegurar que isto (ou ser assassinado por um outro prisioneiro) não acontecesse. Para depois ser julgado e condenado, e cumprido a sua pena...
Mas, sabes, nem sempre a razão e o coração andam a par e passo...e umas vezes deixámos falar mais alto a razão, outras vezes o coração (o meu ficou alterado com a imagem de um mini caixão branco...)
Curly a 17 de Fevereiro de 2012 às 18:13

mais sobre mim
Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

14
15

19
20
21

26
27
29


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO