Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Coisas das corporações

por Tempos Modernos, em 04.11.15

«Em vez de lidarem com os incidentes da brutalidade policial” contra os quais os manifestantes protestavam no dia 24 de Outubro em Nova Iorque, e onde Tarantino falou, “em vez de examinarem o problema da brutalidade policial neste país, eles individualizaram-me. E a mensagem é muito clara. É para me calar. É para me desacreditar. É para me intimidar. É para calar a minha boca e mais importante do que isso, para mandar uma mensagem para qualquer outra pessoa proeminente que possa sentir a necessidade de se juntar a esse lado da discussão”, disse ao Los Angeles Times na terça-feira.»

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:51

Para não se dizer que exagero

por Tempos Modernos, em 03.11.15

«Mas fala da comunicação social sempre como se fosse uma entidade independente, sem laços sociais. 


Não acho que seja uma entidade independente, pelo contrário, estou a enunciar as suas dependências, mas acho que é uma instância que não pode ser reduzida ao determinismo económico e político.

 

É uma instância com autonomia, e essa autonomia não é toda boa, parte dela é corporativa: são as ideias circulantes da classe e o seu corporativismo e comportamento de rebanho, que diminui o seu pluralismo.

 

É uma comunicação social muito moldada por uma aproximação ao político, que é em grande parte a que gerou Marcelo Rebelo de Sousa. Marcelo é o grande educador do jornalismo político, e deu-lhe a base interpretativa: os cenários, uma atenção ao calendário, os factos políticos, a que o Portas acrescentou as frases assassinas e os sound bites.

 

E uma parte dos jornalistas formou-se nessa escola dupla: a do “Independente” e a do “Expresso”.

 

E isso faz com que tenham uma aproximação muito pouco criativa e reagem muito mal às mudanças. Sempre me recusei a fazer cenários sobre estas eleições, dizendo que depois das eleições tudo muda. Nós na história sabemos que o principal elemento dela é a surpresa, e estamos fartos de ter surpresas: o Estado Islâmico é uma surpresa, a Grécia não estava inscrito nem como começou nem como acabou.

 

Há muita coisa nova, e que altera as regras de jogo. A elite jornalística, sobretudo a que faz opinião, que é muito próxima das direcções e dos donos e dos seus interesses, tem tendência a não se querer desdizer a si própria.

 

E como nos últimos quatro anos muita gente alinhou no “é inevitável a austeridade”, “não há alternativa” e num discurso catastrofista, perante a possível alternância não podem perder a face.

 

Isso aliado a uma enorme ignorância dá coisas como dizer que vamos regressar ao PREC e jornais que dizem barbaridades como quem manda em Portugal é o PCP. É de doidos.»

 

Entrevista a Pacheco Pereira no jornal i

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:32

A corporação II

por Tempos Modernos, em 03.11.15

E é isto jornalismo? E, depois, berram que censura é a providência cautelar de Sócrates contra a violação do segredo de justiça.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:13

Nervoseira III

por Tempos Modernos, em 03.11.15

Um painel de comentário televisivo com João Miguel Tavares, Paulo Ferreira (ex-negócios e ex-RTP) e António Costa (ex-DE) pretende esclarecer a quem?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:08

A corporação

por Tempos Modernos, em 03.11.15

Não se lhes ouviu um comentário sobre um certo tipo de jornalismo, mas lá emitiram um comunicado juntando-se ao berreiro corporativo em redor da providência cautelar de Sócrates contra a Cofina.

 

Não admira. Anunciaram-se com uma carta insidiosa. Organizam debates e convidam a situação. Em Maio, na senda de um Passos Coelho, inauguraram os votos de (a)pesar.

 

Nem estatura, nem qualidade.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:02

Nervoseira II

por Tempos Modernos, em 03.11.15

Andam tão desnorteados, tão desnorteados que até já levam para manchete declarações de um José Junqueiro contra a coligação de esquerda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:01

Nervoseira I

por Tempos Modernos, em 03.11.15

naom.jpg

 

(fonte: Notícias ao Minuto)*

 

Entre os debatentes da Direita, e falo com atraso, o tão afamado académico Paulo Rangel aderiu ao comentário de mão na anca, chanato e xaputa.

 

* A imagem não corresponde ao actual perfil emagrecido do intelectual eurodeputado laranja

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:59

Pág. 5/5



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D