Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Sintonias

por Tempos Modernos, em 10.05.16

Gritou anos a fio contra o Viver acima das possibilidades português - um mantra do PSD e do CDS-PP no Governo. Não há muito tempo, deixou o jornal que dirigia. Poucos meses antes de a publicação fechar crivada de dívidas - um desfecho inexplicável para quem destruiu tanto eucalipto a exigir o empenho nas boas contas.

 

Saído da direcção do jornal, logo se ocupou. O que é natural. A mobilidade é um atributo de alguns jornalistas - uma gente que roda pelos lugares de chefia e de comentadores na imprensa como se aquilo fosse um carrossel onde não entra mais ninguém.

 

Ontem, o Sempre Comentador colava o ministro da Educação a Mário Nogueira, secretário-geral da Federação Nacional de Professores. Já hoje, Passos Coelho explicou acusações de sábado: São da Fenprof os interesses servidos por Tiago Brandão Rodrigues

 

As afinidades electivas explicam muitas coincidências, muitas convergências. Mas às vezes ouvem-se os comentários da coisa política e dá a impressão de se estar a ouvir uma orquestra.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:56

Notícias da brava imprensa portuguesa

por Tempos Modernos, em 10.05.16

No jornal onde o censor trabalhou, e onde ainda opina, é todos os dias o cabo dos trabalhos para arranjar notícias que indiciem estar por dias a continuidade do Governo de António Costa apoiado pela esquerda parlamentar.

 

Enquanto não fecha, haja criatividade e sirva o jornal para o que serve.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:44

Cavalgar a onda das virgens ofendidas

por Tempos Modernos, em 10.05.16

A JSD fazia melhor em preocupar-se com as condições de funcionamento do jornalismo português, essas sim verdadeiramente impeditivas e violadoras da liberdade de expressão e de imprensa.

 

O pivô opinador Rodrigues dos Santos* (e se criasse um blogue?) e apoiantes seus como o publicista Lourenço são mais sintomas dos desvios propagandísticos da comunicação social portuguesa que daquilo que é realmente preciso defender.

 

* É raro verem-se directores a escrever notícias, mas este * texto foi escrito por David Dinis, actual director da TSF, ex-director do Observador e antigo assessor de imprensa de Durão Barroso. Do currículo de David Dinis, no pós-RP do antigo primeiro-ministro, constam lugares de jornalista e de editor nas secções de política do Diário Económico e do Diário de Notícias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:20


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D