07
Jan 17
publicado por Tempos Modernos, às 14:58link do post | comentar

Insiste-se em dizer-se e escrever-se que alguém é qualquer coisa dos sete costados. Benfiquista dos sete costados, alentejano dos sete costados e por aí fora. Ora, os mares é que são sete, os costados são quatro, tantos quanto os avôs que todos nós temos.

 

A expressão vem, pois, da genealogia. Assim, ser-se algo dos sete costados sugere que se desconhece um dos oitos bisavôs. Sugere até que alguém da família não se portou como devia.


mais sobre mim
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

17
21

22
23
24

30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO