Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A Bola de hoje tem como manchete "Rafa mais perto do FC Porto". Já o Record tem como manchete "Rafa mais perto do Benfica".

 

Quem se trama é o leitor, que fica por informar com as notícias divergentes dadas pelos dois jornais. Mas quem ganha com estas manchetes? Os clubes de destino, o Sporting Clube de Braga, o jogador, o empresário do jogador?

 

Uma questão é obvia. Ao mostrar rivalidades de dois clubes na corrida pelo mesmo jogador, melhoram-lhe o preço.

 

O caso das viagens pagas pela Galp também traz dividendos divergentes. Se serve à oposição, também serviu à petrolífera pois fragiliza um contendor no diferendo fiscal com o Estado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:42

Apagou-se-lhes a chama?

por Tempos Modernos, em 08.08.16

Curioso, que os alinhamentos noticiosos e as primeiras páginas dos jornais de hoje já não guardem referências directas* ao caso das viagens de governantes à vista de toda a gente e pagas pela Galp.

 

Ou os actores do PSD e do CDS-PP foram de férias ou o novo emprego petrolífero de Paulo Portas (e os incêndios florestais) lembrou-os de que correm o risco de sair chamuscados desta guerra. A ver se se contêm mais uns dias ou se não resistem, que a coisa tem potencial.

 

* A propósito do novo emprego de Portas, o jornal i fala de nova legislação do PS acerca de transparência

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:13

Anos a porem-se a jeito (depois queixem-se)

por Tempos Modernos, em 07.08.16

Pelo que representa de uma certa atitude cultural, o caso é grave e os comportamentos dos três governantes não são admissíveis.

 

No entanto, quando li o título "Quero quando não posso e não quero quando posso", julguei que Francisco Louçã se referia à situação.

 

Afinal não. Quem identifica um certo discurso de modo claro é o autor do blogue O Jumento com o título "Putas velhas armadas em virgens puritanas."

 

Aproveitando o articulado usado hoje - por uma jornalista sempre opiniosa e pouco dada ao exercício do contraditório - numa entrevista conduzida a meias: serão senhores "de um percurso e  uma coerência peculiares".

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:59

Do sensato que é fiarem-se do bom-senso

por Tempos Modernos, em 05.08.16

Todos sabemos como não existe nada mais bem distribuído do que o bom-senso. Pelo menos desde Descartes, que o escreveu no Discurso do Método, obra estudada na adolescência pela maioria dos que fizeram o secundário na área de Humanísticas. Admite-se que muitos não devem ter percebido a ironia.

 

Antes deste jornalista falar, no mesmo canal, um outro, Nicolau Santos, mais inteligente e recomendável, que é injusto associar ao primeiro, falava da falta de bom-senso dos governantes que aceitaram viajar a expensas da Galp ao Euro 2016.

 

"Basta ter bom senso para se saber que há coisas que não se podem aceitar de todo."

 

Como o Diabo de Passos Coelho, o bom-senso dominou outras peças do noticiário.

 

Primeiro, falaram dos banhistas que marcam de lugares na praia de Armação de Pera, deixando os pertences no areal desde o dia anterior de modo antecipando-se a outros. "Não havendo enquadramento legal ou edital de praia que impeça casos como o dos chapéus de sol que pernoitam fica o apelo da autoridade marítima, Haja bom-senso."

 

Depois, as notícias saltaram para as salas de espectáculo: "Aquele momento em que chega ao cinema e há uma mensagem que avisa, por favor, desligue o seu telemóvel, por pirncipio, por lei ou por ou simples bom-senso todos sabem que é mesmo para desligar ou tirar o som."

 

Bom-senso que basta, dizia Nicolau Santos. Sim, mas é o mesmo bom-senso que recomendaria que dezenas e dezenas de veraneantes não reservassem lugar na praia - borrifando-se para os direitos dos outros. Exactamente, o mesmo bom-senso que nos garante que nunca fomos incomodados por gente a atender o telemóvel no cinema ou a ler e enviar SMS.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:21

Divergências no tempo e no modo

por Tempos Modernos, em 04.08.16

BE e PCP tomaram posição acerca das viagens de Rocha Andrade ao Euro 2016 pagas pela Galp.

 

O CDS-PP considerou ensurdecedor o silêncio dos partidos de esquerda que apoiam o Governo.

 

A crítica dos partidos da esquerda já saiu, mas não é suficiente para o grosso dos leitores que comentam a notícia no Expresso digital.

 

Os do CDS-PP precipitaram-se propositadamente. Já sabiam que BE e PCP iriam reagir como reagiram, mas enquanto o pau vai e vem sempre mantêm o Governo em lume brando

 

Quanto aos comentadores da edição online do jornal, a questão é de outra natureza. Há neles uma grande falta de capacidade hermenêutica e de análise.

 

Só analfabetos políticos esperam que um partido apoie uma determinada solução governativa e ao mesmo tempo estique em público, e de modo cego, a corda das críticas a um parceiro.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:16

Ideias feitas ou nacionalismos instantâneos

por Tempos Modernos, em 12.07.16

Um tipo fica satisfeito com a vitória no Euro 2016, mas custa-lhe a entender tanto discurso a explicar o que os franceses e o resto da Europa e do mundo finalmente já viram - o que é meterem-se com uma nação de poetas, com um país de marinheiros.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:29

Instantes decisivos

por Tempos Modernos, em 12.07.16

Sem memória futebolística, reparo agora que Éder marcou no ano passado o golo que permitiu interromper 39 anos sem vitórias frente à Itália.

 

Agora foi ele que interrompeu uma dolorosa série de vitórias francesa. É uma espécie de Santo Guerreiro surgido apenas contra os dragões da maldade da selecção portuguesa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:05

A despropósito do Euro 2016

por Tempos Modernos, em 10.07.16

Em tempos, um colega do Técnico, antigo federado de Andebol, recusava o desporto como escola de virtudes.

 

Nos treinos, não lhe tinham faltado ensinamentos acerca do modo de anular o adversário com violência dissimulada - uma mão puxando-lhe a camisola, uma cotovelada no lugar certo. Manhas várias, pois.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:36


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D